ANDRÉ TELLES

André Telles

POESIA_DE_FORTALEZA-POETA- ANDRE TELLES

NomeAndré Telles 

Biografia: ANDRÉ TELLES DO ROSÁRIO (ou TRELLES, como assina suas empreitadas artísticas), é poeta e professor de Teoria da Literatura na UNILAB (Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira). Lançou Psiconáutica (2006), Vou-me embora pra Sorocaba! (2007), Abraço (2009), Beijo de Língua (2019) e Nós (2019), publicações de poesia; e Que lei que nada (2009), de contos. Como pesquisador, publicou Corpoeticidade e a literatura performática do poeta Miró da Muribeca (2014), e coordenou a pesquisa que gerou a compilação Poeminflamado – a voz tridimensional do poeta França (2012) – livros que versam sobre dois dos poetas mais influentes da corpoesia “marginal” pernambucana. Entre outras histórias, coordena o PraÇarau!, evento de poesia falada e cantada que acontece desde 2016 na Praça do Obelisco, em Redenção-CE, cidade-sede da UNILAB. [trelles.art.br / dorosario.com.br]

Poesias

PRECE

Quero uma oração que saia de mim como canção supernova
Dizendo do susto com o futuro imenso de cada momento
Dizendo dos apertos que tenho passado
Quero uma oração que saia de mim como canção pra dizer Obrigado

COMPUTOPIA

Algoritmo capaz de tornar conversíveis cada um dos raivosos mesquinhos infelizes
Algum vírus a nos provar o improvável: que somos todos compatíveis
habilitáveis & expansíveis

IMPOSSÍVEL

Humanos pobres humanos cansados de sua carne da gravidade, do tempo, da morte, assustados com os outros humanos tão cansados quanto
(entretanto – impressionante! impossível! quando cantam e dançam tudo faz sentido)

BEM-VINDANÇA

Fortaleza, ainda não posso dizer que te entendo, mas te sinto bem e muito bem me sinto, bem-vindo que estou sendo
Fortaleza, fiz esse brinquedo pra ti, agradecendo

DIFUSÃO

Conseguir te fazer sorrir é como conseguir meio beijo teu
Com dois sorrisos a gente se beija
E beija a cidade inteira, se conseguir fazer sorrir pessoas terceiras com o beijo que a gente deu