BATICUM

Baticum

Nome: Baticum

Biografia:

Baticum é poeta desde cedo. Nascido nas bandas de Caucaia, criado pelo Dom Lustosa, Alto do Bode e Antônio Bezerra, vive em estado de poeta permanente. Realiza com uma craniada a Okupação, onde uma Biblioteca Comunitária, o sarau Okupação! e o Slam da Okupa movimentam a perifacentro. Articula com uma ruma de gente o Encontro de Saraus do Ceará, a Bienal Itinerante de Poesia e a Escola Livre e Itinerante Periferia Vive.

Poesias

 Uma mulher

Vim parar no mundo pelos braços de uma mulher. Uma mulher chamada Ivanilda!!!
Hoje o tempo passa num flash Rapidin Rapidin Assim como minha mãe passou… Nem tive hora pra luto Todo o tempo que estivemos juntos Foi de lutar, lutar, lutar
Não nasci em berço de ouro Acho que nem tive berço Fui balançado numa rede Criado com coisas que não tem dinheiro no mundo que pague Pois não tem preço.
Ao mundo pela Caucaia Cheguei no Antônio Bezerra Andei pelo Auto do Bode e Dom Lustosa Me impregnei em Fortaleza.
Há muito estive me embriagando Errando pelos 4 cantos Atropelado por tanta beleza
Fui hospitalizado num emprego Um hospício de santos Que se transformam em demônios
Tudo que hoje faço já foram sonhos O que era mais importante perdi Pelo braços de uma mulher eu vim As percas são minhas A ela eu devo os ganhos.

Sofrência


Me falta de tudo A coerência De ser !

 A Cura

A cura para a morte É a vida A cura para o ódio É o amor A cura para o luto É a luta E a festa é a cura do terror.
Tudo tão óbvio
Nada mais nítido
Ainda temos homens miseráveis Que cada vez mais querem o poder E para conseguir tal feito Celebram tudo de ruim Preferindo as pessoas adoecer.
Tal pastor Tal fiel Tal doutor Tão cruéis
Espalham mentiras Contadas um milhão de vezes Virando verdades Justificam as fezes Ou melhor, as merdas que são feitas
Eu vou sim apontar o dedo Não vamos nos esconder atrás de orações, rezas ou preces
Estou podre por dentro, por fora, de tantos erros Não vou dispensar os dos outros Ninguém merece
Cresce
Cresce
E aparece
A escolha pelo fim dos tempos
Annnn, que história é essa de acontece? Nos entupimos de entretenimento, drogas e máscaras Querer pagar de moral Usando entre aspas É mopaia oh
Não foi bem isso que eu quis dizer Mas foi dito Repito E o índio… quer apito? O que significa ser catequizado, civilizado… Oh, é mesmo oh, assassinado, exterminado….
E o fascista quer o quer?
Se escondendo em nossas atitudes, seja nos governos, nos inteiros ou nos partidos…
Mito
Mito
Mito
Mito
Estrangulam a voz Nos resta o grito
Estão proibindo o que era proibido Vamos proibir a proibição Proibam os que proíbem
Lulalivre é o caraí Povolivre Sim Sim Sim Dou o maior valor Aí aí
Antes poeta que é sal Eu morro de medo Ei foi mal Pra você é pedo

Doente de Brasil

Soco no patrão Fogo no racista Pedra no opressor Faca no fascista
Plantaram ódio Colheram golpe
Amam um ditador Pensando que resolve
O ressentimento tomou conta da sociedade É muito recalque seu fracassado, você é um covarde
Tua inveja Bate na minha luta
Puto preconceituoso Muda tua conduta
Vai ter um infarto De tanto se frustrar
Fica moscando na minha história Saí da minha aba Saí pra lá
E se eu ainda to vivo Minha missão não acabou Me formei bacharel Pra muitos sou doutor
Mas um diploma Mais uma vez universitário Sigo no bonde Sem ser cosplay Inspiração libertária
Elegem à doença Esperando a cura Não estavam rezando Apenas fizeram pacto com a ditadura
Torturador é o herói de vocês? Cristo não vai voltar Pois será crucificado outra vez Aí eu pergunto e por quem será? Se olha no espelho a resposta está lá.
Aqui o fechamento não é pra otário Assino daqui por diante Pela minha família Baticum Proletário

Meu Xapa

É a periferia meu xapa Aqui se nasce com um alvo nas costas, um alvo nos peitos E por mais que você tenha direitos Vão negar isso sabe, dizer que é privilégio, que o que tu conseguiu com muito suor e ralando bastante são benefícios Aí tu tem uma vida toda de sacrifícios e pá
Perdeu bro Era uma vez tua casa, Uma vez alimentação, uma vez emprego Caímos no velho conto de fadas ou aceitamos o presente de grego. To falando de eleição, escolher entre mito a ou mito b e se fu…
Mas periferia não é só sofrimento, é vida além de tudo. Apesar de nos decretarem morriveis, ou seja, aqueles que podem ser mortos, massacrados Estamos tentando viver!!! Viver mah! sabe o que é isso? É ser vivo além de sobreviver. Saber que pra tudo tem jeito e pelejar bastante, apesar das dificuldades e não se entregar e ser vivo a todo instante, se conscientizar que não podemos ser fracos e também nem fortes a todo momento, mas ei cara, Só por tu ta vivo, e não se deixar desviar, não ser um homem bomba, ó, tu se garante! É isso entende? Periferia é marcada pra sofrer mas nós estamos vivos, A gente ta fazendo A-con-te-cer Se movimentando Na atividade, ta interado?
É a periferia pvt O certo aqui é pelo certo mesmo As práticas são o nosso discurso Nós somos essa missão Não estamos a esmo É cada um realizador na sua função Tamojunto, tamoperto
Perainda sociedade Não fecha teu coração Abre os teus braços e me dá um abraço irmão Ei cidadão, ta vendo isso? Periferia vive! Apesar dos lutos, nas lutas nós insistimos To nem vendo pros falador
Se nós cai Todo dia levantamos É periferia que vai seguindo