CARLOS ALBERTO OLIVEIRA

Carlos Alberto Oliveira

POESIA_DE_FORTALEZA-POETA- CARLOS ROQUE

Nome: Carlos Alberto 

Biografia:

Carlos Alberto Oliveira Roque, 29 anos, psicólogo, escritor, dramaturgo, pai da Flora e ciclista. Graduado pela Uninassau. Trabalhou como Redutor de Danos no Centro de Atenção Psicossocial Alcool e Drogas como também na área de Psicologia Social Comunitária na comunidade do Vicente Pizon. Atualmente atua na área clínica com atendimentos focados na abordagem humanista existencial. Se considera um apaixonado por artes em geral, tentando sempre conciliar sua paixão artística com sua prática em psicologia.

Poesias

RECIFE VEM A FORTALEZA

 

Então uma mulher falou:

– Recife vem a fortaleza!

Veio-me logo no pensamento

Como seria tal beleza?

Duas cidades fortes,

Cheias de glórias do Norte.

De imensuráveis riquezas.

 

Das belezas da natureza,

Não vamos ter problemas.

Mergulharíamos em boa viagem.

Sairíamos na Iracema.

Do Cocó a barra do ceará,

Candeias, itamaracá.

Mangues e ecossistemas.

 

E no quesito musical.

Ficaria ainda melhor.

Já pensou o Manguebeat

Com Ednardo e Belchior?

Nação zumbi com seus batuques,

Os Instigados mandando os truques

De psicodelia em dó maior!

 

E no ramo da literatura.

Aí a coisa vai ser linda!

Poemas de Manoel Bandeira

Em terras alencarinas.

João Cabral de Melo Neto,

Ficaria boquiaberto.

Dessas letras nordestinas.

 

Construiríamos uma escola

Com os arquivos do Nirez,

Ensinaríamos todas as línguas.

Inclusive o cearensês.

A técnica utilizada seria

Paulo freire e a autonomia.

O oprimido teria vez!

 

Para concluir esse meu sonho

Da união dessas capitais.

Falo a todos os cidadãos

Que as zelem muito mais.

Cuidem desses territórios,

Terras de homens notórios,

Onde a história se faz.

LIBERDADE VAGABUNDA

 

Uma liberdade vagabunda

Se expressa em noite imunda

De um dia que a culpa assola

O importante nada importa

Sente que se afunda

 

Uma moça que te pergunta

Se queres uma vida conjunta

Mas solto não perde a hora

Quer jogar seu tempo fora

Sente que se afunda

 

Afunda-se em si mesmo

Mostra seu lado aventureiro

Para sua sombra profunda

Mais forte do que nunca

Sente que se afunda

 

Não és senhor de sua casa

Cava sua própria cova rasa

Para sua vida defunta

Na solidão desconjunta

Sente que se afunda

 

Entre o sempre e o nunca

Lança uma nova pergunta

Não sabes mais por que

Razões tem para viver?

Sente que se afunda

NECROANGUSTIA

 

Do profundo de minha angustia

Retorno com a pérola da minha redenção.

Opressões atravessam meu corpo raquítico sob minha cabeça obesa.

Sem vislumbrar vida vejo vidas empurradas por telas luminosas…

Luminaris celularis.

Retrato da desesperança pós moderna.

Tudo jaz produto.

Pessoas se vendem em liquidações de 44 horas…

Quem paga mais?

Quem paga mais?

Dou-lhe uma, dou-lhe duas, dou-lhe 7 bilhões.

A educação virou moeda de troco,

quando não tem, paga com bala!

Pow, pow, pow…

O medo toma conta, infesta, paralisa…

Tentam se esconder mas o pássaro negro sempre as encontram!

Ah black bird.

Blackbird singing in the dead of night…

Arbutres vendedores da evolução humana.

O apocalipse já começou.

POÉTICA BRUTA

 

A Vida é poética bruta

Para quem sabe viver,

É poética bruta

Para quem sabe aprender.

Dançar com o mar.

É poética bruta

Essencial e generosa.

As vezes trágica, bela e singela.

É poética bruta.

 

Prática simples e natural.

Um giro de bola que cai e rola.

Cai. Segue e persegue…

A vida meus amigos…

É poética bruta

 

 

Ardosa…

Vem todos dias

Um atrás do outro.

É poética BRUTA

As vezes mais salgada

Mas sabe quem manda?

SABE QUEM MANDA?

O Primeiro Poeta

O Pai

Somos todos seus filhos

Poetas!

Criadores por excelência e necessidade.

As vezes até por vontade

Em parte

Pois a vontade maior é o que nos sustenta.

A vida meus amigos…

É poética BRUTA!

DITADURA NUNCA MAIS

 

Ouvi falar de uma história

Que me deixou todo agoniado.

A língua chega treme na boca

To sem conseguir ficar calado.

Querem comemorar a ditadura?

Assim na cara mais dura?

Eita que presidente safado….

 

E o pior de tudo para mim.

É essa mentira deslavada

Porque sei bem que não é assim

Como contam essa cambada

Querem nos levar no papo

Enfiando em nosso rabo

Essa conversa réa fiada

 

A ditadura foi muito boa

Pra família do Silvio Santos

Pois pro resto da população

Só morte, cacetete e prantos

Foram muitos desaparecidos

Torturados e sofridos

Corpos deixados pelos cantos.

 

Safadeza dessa não se pode

Fazer com o povo do Brasil.

Aqui é terra de gente Boa

De tradições e belezas mil.

Não cuidamos bem da nossa história.

Um povo sem memória

Que Ficou na mão dessa gente vil.