DAVI SANTIAGO

Davi Santiago

POESIA_DE_FORTALEZA-POETA- DAVI SANTIAGO

Nome: Davi Santiago 

Biografia:

Davi Santiago de Freitas tem 22 anos, é poeta, estudante de Psicologia e fortalezense. Seus versos expressam o sentimentalismo e a inquietude de um jovem que absorve a cidade como uma inspiração. Faz, da poesia, o lugar onde sua identidade é afirmada. É na poesia que Davi mostra como interpreta os múltiplos estímulos que a vida proporciona e também onde tenta, cada vez mais, usar deste lugar como seu exercício de percepção de evoluções.

Poesias

Memórias em Deserção

Denso, escuro e forte.
Cravejado de cristais de esperança
Rodeado por rosas de memória.
Mas dentro
Dentro
Bem dentro
No núcleo
No epicentro
Na parte mais profunda do eu
Tão profunda que já não consigo mais ver
Existe uma lembrança que carrega todo o fardo
A lembrança daquele segundo
Aquele exata combinação entre tempo e espaço
Em que todo egoísmo foi deixado de lado
E teu ser se pôs ali, entregado
O meu, acalentado
Na forma mais concreta que se pode fazer
Com que dois corpos diferentes consigam compreender
Que mesmo diante das turbulências do amanhecer
A noite é capaz de deter
Todas as forças que são gastas em vão
Tentando mudar o que não pode ser.

Dor e Paz

É noite
Me afogo
No afago
Que a faca
Ainda fincada no peito
Me faz
Faço de tudo
Pra fingir
Pra fugir
Pra ficar
Quem é mesmo que eu quero enganar?

Não Tão Remediável Sombra da Dúvida

presente intrigante
me sugere pensar
que o passado poderia
e o futuro vai
ao mesmo tempo
percebo
a cada movimento do ponteiro
a vida passando pela janela que fecho
ou às vezes pela porta que abro
ou às vezes pela boca que beijo
penso sobre as dúvidas
e a cada vez:
mais desejo
mais me perco
sinto como o soldado
que em meio a guerra
em meio a deserção
sentado ouve
a canção no rádio
falando sobre os novos dias
todo dia é um dia novo pra alguém
só não mais pro soldado
que sentado espera
o ponteiro parar

Imagem e Semelhança

naquela noite eu pude perceber
naquele noite tudo ficou claro
claro como o mar à noite
refletindo a luz do luar

um susto
um espasmo
um segundo
um lapso…

e teus olhos brilhavam diferente
e tua boca era mais molhada
e meu amor era mais sincero.

ainda bem,
penso.

alívio,
sinto.

ainda bem,
de novo.

percebo que meu coração,
carregado de prazer e tesão,
segue satisfeito e completo.

pois quando te vejo sem nenhuma nuvem,
como num céu aberto,
vejo muito mais amor
do que reflexo.

Nós

Na madrugada de um dia de semana
Me ponho à parte
Engulo com rigor qualquer vontade
Enquanto a tua, me emaranha

E o emaranhado das linhas de cuidado
Que bordas com movimentos de vai e vem
Meticulosamente precisos
Me desatam nós de convicções antigas
Que costumava carregar