MOISÉS DE FREITAS

Moisés de Freitas

POESIA_DE_FORTALEZA-POETA- MOISÉS DE FREITAS

Nome: Moisés de Freitas 

Biografia:

“Um preto, um pobre, um estudante” como já nos dizia Belchior, quem em seu fazer poético e revolucionário fala das suas vivências e referências grandes intelectuais e militantes Pan Africanistas. Admirador de Malcolm X e Lummumba, começou a escrever seus versos observando discos voadores não identificados com seus holofotes brancos em busca de alvos, mesmo tanto na mira segue com sua potência preta e resistente construindo seus corres e afetos. (Escrito por Felipe Ricardo)

Poesias

Zé da esquina

 

Fui silenciado;

Com fita adesiva na boca;

Com uma vida que dizem ser loka; eles me viram de toka; perguntaram se eu vinha da boca; percebi que a paciência era pouca; resolvi fechar minha boca;

eu fui silenciado; calaram minha voz; mas não meus pensamentos; eu ouço o que falam de nós; antes de pedir meus documentos;

Eu fui silenciado; escoltado por vielas escuras;

ao longe o som de disco voador; mais um Amarildo de pele escura; Eu fui silenciado;

Com palavras de baixo calão; eu fui amordaçado; soterrado sob esse chão; eu sou o Zé da esquina; que foi preso sem furtar nem sequer um pão; mesmo a fome não me dando sossego

eu engrosso uma triste estatística;

sou apenas mais um dentro de um camburão; sou só mais um de muitos e muitas;

empilhados nos gavetões do Iml ou das repartições. Parte 2

Me surpreende você,

Que vêm de mundos parecidos com o meu, Não conseguir me ver,

Para além de um padrão que se escolheu, Quem fez essa escolha não fui eu,

Continuo me esgueirando por entre muralhas e vielas hostis, Carregando um pecado que não foi meu,

Fugindo de luzes que abduzem corpos, Que não voltam para os seus,

No drama diário dos caminhos tortos, Onde mais um se perdeu,

No meio de vidas ceifadas e sonhos mortos, Sonhos esses que também eram seus,

É dramático ser o zé da esquina, Gostar da vida e não poder viver, É um filme de terror,

Que reprisa do corujão até a matinê, O corpo sem vida tem cor,

Tinha projetos que não vão acontecer,

O ser que diziam não ter alma buscava amor, Para sua existência valer…