SAULO DE OLIVEIRA

Saulo de Oliveira

POESIA_DE_FORTALEZA-POETA- SAULO DE OLIVEIRA

Nome: Saulo de Oliveira

Biografia:

Saulo Vieites, psicólogo, graduando em Letras, amante imprudente e sonhador irreparável, é assim um Quixote da poesia. De tanto ler livros de poetas, enlouqueceu, deu a achar que o é também e se pôs a inventar amores, saudades, sofrimentos e sonhos, como se os seus próprios já não dessem angustias suficientes.Um dia há de dar conta que sente também o que inventa.

Poesias

Eu daria o teu nome a uma revolução

 

teu nome bem poderia ser nome dum furacão,

tempestade

ou de brisa da tarde que vem do mar.

poderia se chamar pelo teu nome a aurora,

ou a noite escura.

 

eu daria o teu  nome a uma revolução.

a uma lei de liberdade,

a um veneno sem antídoto,

ou um antídoto a todo veneno.

 

chamaria pelo teu nome a aurora boreal,

a Amazônia,

ou qualquer oásis.

daria teu nome a uma dinastia,

a uma pirâmide,

ao destino,

a um tom de azul,

ao nirvana.

 

chamaria pelo teu nome a deusa da minha tribo,

uma lenda temida,

a heroína dum conto de amor.

 

seria teu nome o da velha estrada de chão à sombra e cheiro de árvores grandes e velhas.

teu nome a palavra mágica, a nostalgia,

teu nome a alegria incerta e quista.

 

te chamava por tudo isso, amante, quando sussurrava teu nome ao teu ouvido…

tenho saudade de tudo isso, amante, quando murmuro teu nome no silêncio onde não

Das flores que nascerão em ti

 

esta noite farei nascer flores em ti

 

serei sol, chuva e terra para as tuas flores,

serei as mãos a plantá-las.

serei o olhar de êxtase que elas receberão,

serei a borboleta a voar e a pousar sobre elas,

 

o vento, a brisa a lhes espalhar o cheiro.

 

serei o nariz que as cheira

o sorriso de encanto da beleza que terão,

 

de tuas flores serei o cuidador atento,

também o ladrão na madrugada

apaixonado e atrevido

a invadir teu jardim, roubar-te uma delas

Teríamos sido felizes

 

a noite de quinta me olha

uma felina desafiadora

 

a moça que passa de guarda-chuva parece ter alguma tristeza

a chuva cai triste

para ela é sempre triste que usem guarda-chuva

nenhum guarda pode ser feliz é a lei

você também usa um guarda-chuva

e eu também pareço triste

 

talvez tivéssemos sido felizes

quase fomos

por 12 dias pensei que seríamos

 

talvez tivéssemos visto tantas vezes o pôr-do-sol, o mar e 3 dezenas de filmes duvidosos

ririas de eu entender tão pouco de cinema

eu riria do teu sorriso ser tão bonito

eu tinha uma coisa de imaginar o teu sorriso

e dizer coisas por ele

talvez o teu sorriso estivesse em 37 poemas

talvez sorríssemos tanto

eu sorriria do sal na tua pele

desejaria a tua pele

riríamos do meu desejo

a quantidade de sorrisos precisa ser importante na paixão

 

talvez tivéssemos sido felizes

quase fomos

por 12 dias pensei que seríamos

Poema dum amor sufocado

 

você já viu uma árvore plantada onde entra pouca luz?

já viu as voltas que ela dá para o sol?

o meu amor tem voltas

sobe entortando-se

 

 

eu te amo

– e talvez quisesse ser desses que só ama –

mas “o presidente precisa de ser trocado”

é sabido e dito por Juarez da mercearia em frente

e o congresso

 

eu te amo

mas meu pai está na fila de cirurgia

e é uma fila tão cheia de pais

quero que o meu passe à frente

eu te amo e sou egoísta

 

eu te amo mas a vida me dói no peito

nas costas, nos ombros

queria só amar

mas há tanto suor

 

o pão é caro

nasci sem heranças

acordo 5:30

tenho medo

o peito suado

um dia inteiro à frente

uma vida inteira

a vida do meu pai inteira

a do meu avô

o tempo se confunde

parece o mesmo para trás ou para frente

sequência de dias de acordar às 5:30

sempre foi assim com os meus

eternidade atemporal da classe trabalhadora

 

eu te amo e me assusta na parede o retrato do meu avô

aos 75 ainda acordava às 5:30

hábito da vida inteira

um peso enorme se um dia acordasse às 6

lágrimas!

uma pancada na identidade de trabalhador

na aprendida dignidade do ser homem

 

eu te amo

mas a minha dignidade é roubada onde me ensinam que ela é forjada

eu te amo mas me sobra no fim do dia um tempo tão pequeno para te amar

quisera ser desses que só amam

mas eu te amo e preciso de pão

 

seja como for

Amo-te!

entorto-me como posso em voltas

inimagináveis

e subo por entre a vida para o teu amor

que é sol

O teu abraço tem tons de sol

 

ameno de aurora

raios leves

aquecem, acolhem, abraçam,

envolvem

integram  ao universo

 

de meio dia

faz suar

põe a pele a arder

em sede urgente

 

– a sede que me arde é de ti

das águas mornas que correm no rio do teu sexo-

 

de ocaso

que afasta

com lentidão e beleza,

põe em cores o infinito

deixa na noite desejo de aurora

 

o teu abraço tem tons de sol

a minha pele desejos da tua aurora.